quinta-feira, 11 de maio de 2006

Sonho meu, sonho meu...

Seguindo os conselhos de um Anjinho que abandonou esse pobre blog na minha fase "não tenho nada pra escrever aqui", resolvi registrar algumas idéias para não perdê-las na confusão da vida cotidiana. Decidi descrever nesse post um sonho que eu tive quando estava a bordo do 249 indo pra casa, olhando a paisagem e viajando na maionese...
Pode ser que eu volte a esse mesmo post e acrescente ou retire algumas coisas, pois pretendo levar a idéia a sério e, quem sabe, concretizá-la um dia. Até porque o que tenho até agora é um esboço recheado de lacunas e dúvidas.


O ônibus tinha acabado de sair do ponto final, ao lado do Lgo. da Carioca, Centro do Rio de Janeiro, e vejo pela janela uma oficina de arte que já conhecia, mas nunca tinha me chamado a atenção.
Neurônios a mil... E se houvesse um espaço no Rio que apoiasse todas as formas de arte? E se os artistas talentosos que estão ainda galgando uma carreira e procurando divulgar sua arte tivessem apoio e espaço para fazê-lo sem que um empresário-comerciante-sanguessuga-vampirão quisesse apenas lucrar em cima dele?
Mas como seria esse espaço? Como conciliar música, literatura, artes cênicas, artes circenses, esculturas, pinturas... sem que virasse uma grande bagunça e sem que uma "coisa" tirasse a atenção da outra?
Que tipo de público frequentaria esse lugar?

Essas questões eu vou respondendo aos poucos, mas um dia terei um espaço assim.

6 comentários:

lennon disse...

dá pra ter um lugar assim sem virar feira. mas não aqui. talvez na groelândia. Quem sabe na transilvânia. Nova Zelândia! que tal?

Aqui só dá pra vender pipoca. Fazer churros... vender balões...
Maconha... Eu já me decidi: vou comprar uma arma e assaltar ônibus.

saudade, beijos...

Nadine disse...

Não acredito que seja bem por aí...

Concordo que no nosso país a gente tem que ralar o triplo pra conseguir conquistar nosso espaço: a carga tributária é absurda, as leis de incentivo que na verdade só desistimulam, a "burrocracia" que é cultivada em larga escala...

Mas sou um daqueles seres que acredita na transformação. Acho que se fizer o que me cabe e os que estão próximos a mim puderem perceber isso, se sentir apoiados e estimulados a fazer também a parte deles, quando a gente se dá conta acaba mudando o mundo.
Não acho que "vamos precisar de todo mundo" porque todo mundo é muita gente e depender de muita gente é pedir pra não dar certo, mas acredito que vamos precisar da gente, da crença nos nossos princípios e assim acabamos contagiando todo mundo.

Ps.: meu poder de síntese é incrível, não?! Acabo de escrever um post dentro de outro... rs

lennon disse...

É realmente incrível seu poder de síntese...

MAs não pense que estou totalmente desestimulado...

Será que dá pra me enforcar com o fio do ferro?

Beijos mil...

Isis disse...

É, não parece uma coisa impossível não.Na verdade eu acho q é bem possível, só depende de grana, pessoas, boa vontade, muita boa vontade...

Bjos!

Nadine disse...

Pois está decidido! Vou terminar minha facul de informática, fazer Produção Cultural na UFF (se não me engano a UNI Rio tem um curso parecido... vou me informar melhor) e botar essa idéia pra funcionar!!!
O que vocês acham de Eclétiko's?

lennon disse...

Show. boa sorte. Pode mandar um convite pra mim, afinal, se não der certo eu monto uma dupla de funk e vou cantar por aí. (Quem sabe não tem um espaço só pra marginais,hein?!)

beijos...